Constellation,  Matérias,  Musicais

Contracenarte: ‘Constellation’ estreia na Gávea em clima dos Anos Dourados

materiacontracenaarte
Preparados para embarca numa viagem de volta à década de 50? É o que propõe o musical “Constellation”, que estreia dia 13 de novembro, no Teatro Vanucci, no Shopping da Gávea, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Dirigido pelo também ator, Jarbas Homem de Mello, o espetáculo promete agradar o público como clássicos da música americana que fizeram sucesso nos Anos Dourados. Escrito e idealizado por Cláudio Magnavita, “Constellation” se passa em Copacabana, que vivia sua época de ouro, encantando celebridades internacionais e lançando modismos que se espalhavam pelo País.
Os anos 50 foram marcados por grandes avanços científicos, tecnológicos, transformações culturais e comportamentais. Foi a década em que começaram as transmissões de televisão, provocando uma grande mudança nos meios de comunicação. A história se  passa em 1955, ano em que a Varig adquiriu a aeronave mais moderna que havia no mercado da aviação e inaugurou uma nova rota entre Rio de Janeiro e Nova Iorque. Surgia o Super Constellation G, um avião super luxuoso, que reduziu o tempo de voo de 72 horas para apenas 20 horas e influenciou diretamente nos hábitos locais.
Sob direção musical de Beatriz De Luca e coreografias de Vanessa Guillen, o público desfrutará de um repertório de 16 canções clássicas americanas da década de 50 como “Only You”, “Blue Moon”, “Stand by Me”, entre outros sucessos. No elenco estão Andréa Veiga, Jullie, Lovie, Cleiton Morais, Daniel Cabral, Drayson Menezzes, Franco Kuster, Marcio Louzada e Ugo Capelli. “Constellation” fica em cartaz no Teatro Vannucci de quinta a sábado às 21h30 e domingo às 20h30 até o dia 21 de dezembro.
“É o primeiro espetáculo que dirijo no Rio de Janeiro, depois de dirigir vários em São Paulo. É especial, pois a peça trata de uma época de muito romantismo, Copacabana vivia seu apogeu, as pessoas se arrumavam mesmo para ficarem em casa”, diz Jarbas Homem de Mello.
De volta aos palcos
Na peça, a atriz e cantora Jullie (participante do The Voice) dá vida à jovem Regina Lúcia que está na disputa por uma passagem para Nova York no voo inaugural do Super Constellation G em um concurso da Rádio Nacional, cuja final acontecerá no Golden Room Copacabana Palace. Ela divide um quarto e sala em Copacabana com a mãe – separada do marido – e Tia Maria da Penha, interpretada por Andréa Veiga, uma vedete do Cabaré Casablanca. As três representam o início de uma geração que viveu no ano de 1955 um boom imobiliário no bairro gerado por um encantamento que tornou o bairro na Zona Sul carioca desejado por milhares de pessoas.
“A chegada do Constellation permitiu que a alta sociedade frequentasse a Big Aplle e isso trouxe uma grande influência musical. Ao mesmo tempo, Copacabana viu seus imóveis diminuírem de tamanhos e serem ocupados por jovens sonhadoras pela american away of life. Estamos produzindo um espetáculo musical de um autor nacional apenas com clássicos americanos”, conta o produtor Frederico Reder, da Brainstorming Entretenimento.
Fruto de um extenso trabalho de pesquisa de Magnavita, “Constellation” narra o voo inaugural do avião Super Constellation G, um fato que gerou inúmeras matérias nos jornais da época e proporcionou momentos históricos, com personagens que se tornaram referência daquela geração. Jorginho Guinle, Carmen Mayrink Veiga, Martha Rocha, Ieda Maria Vargas e Pelé são alguns nomes que surgem ao longo do espetáculo para ilustrar esse momento tão rico da história brasileira.
“Por ser jornalista especializado em aviação percebi que este momento precisava ser contado. Como autor, fiz questão de me manter distante do processo de criação, pois sabia que estava em boas mãos”, diz Magnavita.
Comentários desativados em Contracenarte: ‘Constellation’ estreia na Gávea em clima dos Anos Dourados